» oitavo


Nenhum Olhar, de José Luis Peixoto

«Filho. Gostava que houvesse uma aragem qualquer que me explicasse esse teu sorriso e outra que te explicasse, sem te magoar, o meu silêncio.»


imagem [aqui]
mais informação [aqui]